Introdução Alimentar: quando começar?

16/02/2021 Off Por Daniela Foltran

O seu bebê está prestes a completar seis meses, mas será que já é o momento de começar a introdução alimentar?

Segundo a orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que se baseia nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde (MS), o leite materno ou fórmula deve ser exclusivo até os seis meses de idade – salvo em casos específicos.

A partir do meio ano de vida está indicada a introdução da alimentação complementar. Entretanto, deve-se estimular a manutenção do aleitamento materno até os 2 anos de idade ou mais.

Afinal, quando começar?

É importante ressaltar que o consumo precoce de alimentos complementares interfere na manutenção do aleitamento materno.

Além disso, o organismo do bebê ainda não está preparado para isso. Por isso, além da idade do bebê, é observe os sinais de prontidão.

Sinais de prontidão para a introdução alimentar

Observe os cinco sinais de prontidão do que envolvem fatores que vão muito além da idade.

Saiba quais são:

  1. Sentar com o mínimo de apoio: o bebê deve estar firme e já não tombar para os lados quando colocado no cadeirão;
  2. Protrusão da língua diminuída: sabe aquela linguinha para fora? Quando a protrusão da língua diminui, ele está pronto para começar a receber os primeiros alimentos;
  3. Mostrar interesse pelos alimentos dos adultos: observar se há curiosidade e o interesse sobre o que os pais e cuidadores estão comendo;
  4. Saber levar brinquedos e objetos à boca: esse é um dos primeiros sinais que pode ser observado durante brincadeiras;
  5. Controle total da cervical: esse controle permite que o bebê tenha total controle do alimento que está dentro da sua boca. Por isso, quando o bebê ainda não tem o total controle da cervical ele pode engolir o alimento antes da comida estar pronta para isso.

Como se preparar para a introdução alimentar

Se o seu filho está chegando nesta fase, veja algumas dicas podem te ajudar a  fazer uma introdução alimentar tranquila e sem frustrações.

A primeira recomendação é: contenha a ansiedade e não tenha pressa.

Como dito antes, não existe nenhum motivo que justifique a introdução alimentar antes dos seis meses para bebês que recebem leite materno ou fórmula. Por isso, se você ouvir isso de um profissional de saúde, você deve procurar uma segunda opinião.

Enquanto você se prepara, estude sobre os sinais de prontidão e se informe com profissionais qualificados.

Conforme já adiantamos, o seu bebê precisa ter seis meses e todos sinais para estar apto para receber a alimentação complementar.

Outro ponto importante é: não comece apenas com frutas. É mais vantajoso iniciar a introdução alimentar com lanches, almoço e/ou jantar.

Atenção: papinhas liquidificadas e retirar os grãos do feijão são recomendações ultrapassadas.

Não é preciso restringir alimentos para que seja feita uma introdução alimentar de sucesso, mas vale lembrar que os sucos devem ser oferecidos apenas para crianças a partir de um ano e com parcimônia.


O que comprar para a introdução alimentar

Tudo o que você precisa para iniciar a introdução alimentar é comida, mas alguns acessórios podem garantir mais praticidade e tranquilidade para essa fase tão especial do desenvolvimento do bebê.

  • Babador impermeável: quando o bebê começa a introdução alimentar, a bagunça é inevitável, mas sofrer é opcional! Os babadores impermeáveis ajudam a deixar a roupa limpa.
    Para os meses mais frios ou mesmo nas cidades onde a temperatura é mais amena, os babadores manga longa são uma boa opção para minimizar a sujeira.
  • Copo 360 ou copo aberto: é super importante que você não ofereça mamadeiras ou copos que podem causar a confusão de bicos.
    O copo de treinamento 360 é indicado ao invés de copos com bico ou canudo, porque permite que a criança se acostume a beber da mesma maneira que faria com os copos convencionais, mas sem o risco de derramar o líquido.
    Se você não se preocupa com molhadeira, já pode partir para o copo convencional.
  • Pratinhos: os pedaços podem ser oferecidos direto na bandeja do cadeirão.
    Mas, conforme o bebê vai crescendo, é bacana ter o pratinho para que o estímulo visual seja valorizado. Ali será possível visualizar todos os grupos alimentares que compõem a refeição.
    Enquanto os pratinhos com divisórias são indicados para quando o bebê começar a servir a comida sozinho, os pratos com ventosas também são indicados para minimizar acidentes.
  • Talheres: você pode usar os pequenos talheres de sobremesa que tem em casa, mas também pode comprar talheres específicos, como os de silicone.
    Os talheres de cabo curto e largo são os mais indicados por facilitar o manuseio pelo bebê.
    A colher de treinamento é uma opção confortável para os bebês que ainda não desenvolveram a rotação de punhos, o que acontece por volta do segundo aniversário da criança. Como não existe forma errada de segurar, é um utensílio muito útil desde o início da introdução alimentar.
Aproveite e curta bastante!

Além de ser uma fase importante para o bebê, a introdução alimentar também é um momento especial para os pais e cuidadores, já que essa etapa do desenvolvimento infantil chega repleta de novidades.

Aproveitar cada momento e divirtir-se com as descobertas do seu bebê é fundamental!