Criança na Cozinha: confira os benefícios

16/03/2021 Off Por Daniela Foltran

Lugar de criança é na cozinha!

Essa atividade pode começar desde muito cedo, junto com a introdução alimentar. É claro que em cada fase de desenvolvimento da criança uma atividade pode ser desenvolvida e, aos poucos, cozinhar se torna uma atividade em família.

Em tempos de pandemia, com as crianças em casa por muito mais tempo, inseri-las nas atividades cotidianas também ajuda o dia a dia a ficar mais leve e o cozinhar ganha status de brincadeira.

Não por acaso, o tema também ganhou espaço no currículo da educação infantil. Na cozinha as crianças podem ser estimuladas a comer de forma mais saudável. As atividades de culinária devem ser usadas como um espaço privilegiado para a conquista da autonomia e adoção de hábitos saudáveis.

Inclua sua criança na escolha e preparo dos alimentos.


Trazendo a atividade para dentro de casa, você pode começar a incentivar sua criança a conhecer os alimentos e experimentar as texturas. Em tempos normais, o nosso conselho seria: leve o seu filho à feira ou ao hortifrúti e deixe que eles ajudem a escolher os alimentos.

Como ainda estamos em meio a pandemia do coronavírus, essa atividade pode ser na mesa da cozinha. Disponha os alimentos sobre a mesa e deixe que as crianças manipulem – seja para ajudar a guardar na geladeira, na despensa ou mesmo antes do preparo.

Os benefícios da criança na cozinha

Ao participar do preparo dos alimentos, as crianças se sentem incluídas nas atividades domésticas e mais dispostas a provarem os diferentes tipos de preparos.

Quando a criança participa do preparo da comida, a curiosidade é aguçada e ela fica mais disposta a experimentar novos sabores.

Conhecer o aroma e o gosto de cada ingrediente torna-se parte da brincadeira, o que ajuda a aguçar o paladar e o olfato. Com esse incentivo, a criança irá crescer com um paladar mais eclético e terá mais chances de manter uma alimentação saudável no futuro.

Outro ponto importante a ser destacado é o ganho da autonomia. Para os maiores, quando eles começam a conhecer o processo, se tornam mais autônomos e passam até a desempenhar algumas atividades sozinhos.

Experimentar as texturas com as mãos também ajuda a desenvolver o senso tátil. Para os pequenos, um pote com arroz cru, feijão ou outros grãos vira brincadeira. Mergulhar as mãos no pote traz uma sensação diferente e, ao mesmo tempo, curiosa.

Os aventais ajudam a dar ainda mais diversão ao momento e ainda protegem a roupa de uma eventual sujeira (que faz parte da diversão).

Leitura e matemática na cozinha

Depois da alfabetização, a experiência pode ser ainda mais enriquecedora.

Aproveitar esse momento para incentivar a leitura é uma boa oportunidade, com receitas simples e descomplicadas. Existem diversos livros de culinária para crianças que podem ajudar nesse momento.

Para aqueles que já começaram a contar, preparar uma receita também ajuda a reforçar o conhecimento sobre os números. Uma xícara, duas colheres… Preparar um bolo, por exemplo, pode ser uma atividade rotineira para os cuidadores, mas cheia de aprendizado para os pequenos. Que tal experimentar aí na sua casa?


Para garantir um momento ainda mais lúdico, vale apostar em utensílios coloridos e divertidos para aguçar a criatividade.
Quer uma dica para preparar aí na sua casa? Confere essa receita:

Omelete colorido

Ingredientes
1 ovo
4 col. (sopa) de cenoura ralada
4 col. (sopa) de couve manteiga picada
2 col. (sopa) de tomate em cubos
1 col. (sopa) de cebola picada
1 col. (chá) de azeite
Preparo
Aqueça uma frigideira antiaderente com o azeite, e refogue a cebola até ficar dourada.
Acrescente os legumes picados e refogue até que fiquem macios.
Bata o ovo e coloque por cima dos legumes refogados e bem espalhados na frigideira. Tampe
e aguarde cozinhar bem. Se preferir vire do outro lado, para cozinhar por igual.
Rendimento: 2 porções pequenas.

  • Sem glúten
  • Sem leite
  • Recomendado para bebês e crianças acima de 6 meses. Para bebês maiores de 12 meses, pode incluir uma pitada de sal.

Informação nutricional referente a uma porção de 100g (ou ½ omelete)

Micronutrientes

Cálcio64,9 mg
Colesterol94,4 mg
Ferro0,5 mg
Fibra alimentar2,1 g
Fósforo68,0 mg
Magnésio19,5 mg
Potássio289,8 mg
Sódio32,1 mg
Vitamina B120,25 mcg
Vitamina C38,9 mg
Vitamina D0,29 mcg

Macronutrientes

Proteína4,3 g
Carboidrato4,7 g
Lipídeo4,6 g
Valor calórico75,2 Kcal

Receita e Informações nutricionais fornecidas pela nutricionista Juliana Tavares V. Stefanini – CRN-3: 44.115 [email protected]@nutri.jutavares