Brincar de comidinha

Brincar de comidinha era uma das minhas atividades preferidas na minha infância. Uma época sem impressora e acesso a itens escolares. Eu brincava com latinhas vazias, caixas de madeira da roça do meu pai, empilhava tijolos para fazer o fogão; as comidinhas eram pedra, terra, folhas… terra + água + pedrinhas viravam feijão. Era assim que passava boa parte das minhas tardes. Como tenho recordações boas dessa fase!

Hoje, adulta, sei que brincando de cozinhar fiz muito mais que criar memórias. Eu aprendia sobre texturas, quantidades, volume. Trazia a relação com os alimentos para meu cotidiano de forma leve, criando uma relação que vai muito além do “encher a barriga”.

Ao contrário do que aconteceu comigo, atualmente folhas impressas, massinha, canetinhas e lápis fazem parte do dia a dia desde a mais tenra idade (infelizmente poucas são as crianças que têm acesso aos itens da natureza).

O brincar livre é essencial, mas vez ou outra uma atividade dirigida cai bem.

Por isso, desenvolvi um kit para imprimir que pode gerar muita diversão, desde bebês que já estão manuseando giz de cera até crianças maiores com habilidades de leitura ou tesoura.

Sugestões de Como Brincar de Comidinha

Pintura e colagem

Pintar as frutas, legumes e emoji. Crianças menores devem ser supervisionadas. Independente da idade da criança, esse pode ser uma momento de conversa. Que tal conversar sobre o alimento que está pintando? Será que a criança gosta, não gosta, tem vontade de experimentar? Se forem os emojis que estão sendo colorido, que tal conversar sobre reconhecimento de sentimentos? (mais para frente voltarei a conversar sobre isso)
Depois da pintura, que tal recortar os dados e colá-los? Essa geralmente é a sua função na brincadeira, adulto!
Os emojis estão montados que quando recortados se tornam cartas.

continua após a imagem
Conheça nossa loja

Apenas o Jogo de dados

Há esses dados podem render muitas descobertas! Que tal ver se a criança reconhece o alimento que caiu para cima? Ou a cor ou conversarem sobre o sabor, sobre a história… são tantas conversas que podem surgir.
Crianças pequeninas vão se divertir só de jogar os dados e vê-los cair.

Aceitação e interesse

Que tal brincar de comidinha para trabalhar aceitação dos alimentos?
Ao todo são 6 legumes, 6 frutas e 9 sentimentos. A idéia aqui é jogar um dado e pedir para a criança apresentar o emoji que a representa. Ela pode gostar ou odiar, mas o importante é esse momento ser de diversão e descoberta, nada de sermões ou intimidações para provar.
A criança pode até escolher o cartão Eca e mesmo assim você verá isso como um avanço na aceitação, afinal, apenas do sentimento ela já aceita brincar com a representação dessa comida.
Outra forma é você apresentar uma carta de emoji e pedir para a criança escolher nos dados qual o alimento que ela relaciona ao card.
Brinque você também, mostre seu emoji para o que o dado apresentar.

Comidinhas e Massinha

Uma brincadeira para montar um prato surpresa. Joguem um dado e modele o que cair com massinha. (Aqui tem receita de massinha caseira). Repitam quantas vezes quiserem.

Reconhecimento do Nome do Alimento

Para brincar assim, a criança já precisa ser alfabetizada.

Eu posso continuar a listar diversas sugestões, mas você mais do que ninguém sabe a criança que tem em casa e como será mais interessante na dinâmica da sua casa.

 

Com esse kit você terá mais uma variedade de opções para brincar de comidinha e atividades complementares ao livro Comi o ABC.

Para baixar grátis, basta clicar na imagem abaixo.

Não esqueça de mencionar os créditos devidos e de marcar @aurorasenhora nas redes caso compartilhe a diversão.

Home Blog
Categoria:

Escrito por Daniela Foltran

Sou mãe de 3 meninas e 1 coelho. Cresci no sítio e vim sozinha para a selva de pedra. Defendo a amamentação e o fortalecimento dos vínculos. Acredito no desenvolvimento pleno da criança, no valor das oportunidades de experimentar cores, texturas, aromas e sabores. Luto pelo comer e brincar livremente sem sobrecarregar quem cuida, sem aumentar o trabalho e os cestos de roupas sujas. Minha missão? Espalhar autonomia e ajudar com o trato da a bagunça que todo esse aprendizado causa.
Carrinho de compras